Estilo do Blog: [ Astex ] [ Stone ] [ Green ] |  Bode de Ouro AQUI | Seguidores do Facebook: AQUI
The Filosofix Introduction Page   RSS   Facebook Filosofix   Twitter   Visualizar perfil de Ramiro Corrêa Jr no LinkedIn
Consultório Online de Psicanálise
(visite meu Consultório Online de Psicanálise - clique no logo acima)
(por falta de suporte AdobeFlash Player para algum iPad ou similar, algo pode não ser visto no blog)




Sete vezes Dez à Sexta Potência!

Categoria: Crônicas | Comentários ao final (Leave your comments below)

Atingimos a marca de 7 milhões de visitas…


Obrigado, Navegante!

Justamente nos dias em que comemoramos também outra grande marca…

Diante de tanta alegria, só há duas coisas que podem ser ditas:

- Primeira: Obrigado, Navegante!

- Segunda: invocar um poema de Tagore!

in: Rabindranath TAGORE. Gitanjali, poem 2 –1


A você, filha! Parabéns!

“WHEN thou commandest me to sing it seems that my heart would break with pride; and
I look to thy face, and tears come to my eyes.
All that is harsh and dissonant in my life melts into one sweet harmony ⎯ and my adoration spreads wings like a glad bird on its flight across the sea.
I know thou takest pleasure in my singing. I know that only as a singer I come before thy
presence.
I touch by the edge of the far spreading wing of my song thy feet which I could never aspire to reach.
Drunk with the joy of singing I forget myself and call thee friend who art my lord.”2

Obrigado, Navegante! 7 vezes Dez à Sexta Potência a você também!

postado por Ramiro Corrêa (16/05/2017)

  1. GITANJALI – (SONG OFFERINGS), BY RABINDRANATH TAGORE. A COLLECTION OF PROSE TRANSLATIONS MADE BY THE AUTHOR FROM THE ORIGINAL BENGALI, WITH AN INTRODUCTION BY W.B. YEATS. NEW YORK: THE MACMILLAN COMPANY, 1920. EDITION: FIRST PUBLISHED IN 1913 []
  2. Nossa livre tradução:
    “QUANDO tu me mandas cantar, parece que meu coração se quebra de tanto orgulho; e
    Eu olho para o teu rosto, e lágrimas vêm aos meus olhos.
    Tudo que é áspero e dissonante em minha vida derrete em uma harmonia doce ⎯ e
    minha adoração espalha as asas como um pássaro alegre em seu vôo através do mar.
    Eu sei que tu gostas do meu canto. Eu sei que somente como um cantor eu venho diante de tua presença.
    Eu toco com a borda de minhas asas espalhadas por minha canção os teus pés que eu nunca poderia aspirar a alcançar.
    Inebriado com a alegria de cantar, eu me esqueço e chamo-te amiga que és, minha senhora” e filha []

Comments

comments





Recomendamos, fortemente, que você comente este post. Sinta-se à vontade.

Contudo, todos os comentários no Blog FILOSOFIX são moderados pelo ADMINISTRADOR. Contamos com sua COLABORAÇÃO. Obrigado.

Por favor, preencha o formulário abaixo e aguarde aprovação de sua opinião.


Comentários disponíveis para leitura.


Sem comentário



Nome (obrigatório)

Email (obrigatório - não será publicado)

Website

Compartilhe sua sabedoria - escreva seu texto abaixo

Current day month ye@r *